sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Este ano desejo viajar mais leve



Atribuir valor a certas datas comemorativas é costume comum entre as pessoas, independente de religião, cultura, nível social ou idade. Dentre as muitas datas que ao longo da vida festejamos a chegada de um novo ano é talvez de todas a mais universalmente comemorada.

Nos primórdios da humanidade a passagem para um novo ano era recebida com  sentimento coletivo de renovação. Enquanto que o ano velho representava o caos, o ano novo significava o retorno à ordem inicial da criação, como se um novo ciclo estivesse se iniciando no primeiro dia do novo ano.

Passados milhares de anos, mesmo de forma não muito consciente, continuamos abrigando em nosso imaginário a mesma noção, os mesmos sentimentos que nossos antepassados cultivaram. Assim, avaliamos o ano velho e projetamos o ano novo.
Com esperança renovada fazemos os velhos votos e as mesmas promessas de sempre; aquele regime que nunca obedece data estabelecida; a visita aos hospitais que nunca arranjamos tempo; colocar as leituras em dia quando os livros já viraram comida de traça; brincar com as crianças quando já se esqueceram dos brinquedos. Parece o mesmo filme, com o mesmo final sem graça.

Para este novo ano não faço promessas. Começo com esperança sim, mas sem os votos que, passada a empolgação inicial, sei que não vou cumprir. Quero aliviar a bagagem. Quero viajar 365 dias mais leve.

Sem promessas nem votos, para 2010 tenho apenas desejos, pois, caso não consiga realizar tudo o que pretendo, o desejo permanece. Desejos são leves e brotam do anseio por mais amor. Promessas e votos são artifícios da obrigação que se tornam um peso na consciência pelo que dissemos mas não fizemos.

Por isso, para este novo ano tenho apenas desejos.

Com os amigos desejo ter mais encontros. Com a minha comunidade de fé desejo mais bate-papo em volta da mesa. Com a família desejo ter mais tempo na grama do parque. Aos pobres desejo mais dignidade e alívio dos sofrimentos.   Ao espírito desejo boa música, belas alvoradas, e claro um pouco de arte. Com meu Deus desejo ter mais amizade, momentos de silêncio e paixão.

Que o Pai nos encha com a coragem e a esperança do seu Espírito neste novo ano.


Alex Sandro Carrari


Um comentário:

ju disse...

Amei, eu bem que poderia ter escrito isso, rs. mas, como não escrevi. Vou seguir você. Terei apenas esses desejos para o ano novo, embora pareçam simples, leva um pouco de esforço para se concretizarem, mas valerão a pena se realizados.
um lindo 2010 para vc.