segunda-feira, 23 de novembro de 2009

O encontro com Deus prescinde da nossa verdade sobre Ele

Paulo Silvano

O encontro com Deus é desconcertante e prescinde da nossa verdade acerca dEle. Os componentes da ambiência desse encontro apresentam-se cercados pela irracionalidade, enquanto indefiníveis e inacessíveis. Contudo, à medida que nos distanciamos desse momento arrebatador, do NUMINOSO, que se vai com o seu caráter espontâneo, embrenhamos no desvelo do mistério que cerca o encontro; nos ocupamos na construção de um outro equilíbrio.

O descobrimento do majestoso produz, à medida que patenteia o bruxulear da chama do tremendo, abafada pela racionalidade, aquilo que chamamos verdade.

Fundamentamos mais verdades enquanto vamos nos desconectando do numinoso. A transição do numinoso para a conceituação é desvantajosa, pois quanto mais nos apropriamos das verdades menos nos é dado perceber da beleza existente na relação com o Caminho, com a Verdade e com a Vida. Isso até que, desobscurecidos, nos rendamos ao fascínio de um novo encontro.

Imagem em: imagensbiblicas.wordpress.com/

4 comentários:

javejireh disse...

Texto pesadíssimo!
Eu não consegui concatenar as palavras num contexto de fácil assimilação!
De dificílima leitura, e por que não dizer, extremamente cansativa!
Tentei ler por 3 vezes e confesso que desisti, pois não entendi absolutamente nada do que vc quis dizer!
Me desculpe, mas o irmão não acha que já é hora de retornar à simplicidade de Cristo, principalmente nas palavras e nas idéias?
Medite nisso!
E me perdoe por estas palavras!
Abs!
Rodrigo

Erick Chiaramonte disse...

Caro Paulo Silvano,

Deve-se evitar toda prolixidade e todo entrelaçamento de observações que não valem o esforço da leitura. É preciso ser econômico com o tempo, a dedicação e a paciência do leitor, de modo a receber dele o crédito de considerar o que foi escrito digno de uma leitura antenta e capaz de recompensar o esforço empregado nela.

Erick Chiaramonte

Juber Donizete Gonçalves disse...

O encontro com Deus é desconcertante mesmo. Como o desenho da postagem ilustra, desse encontro, pode-se entar chamando Jacó, com uma história de enganos e com apelido de suplantador e pode sair como Israel, um principe de Deus, alguém que lutou com Deus.

Parabéns pelo blog.

numen disse...

Caros Amigos,

Obrigado pela visita ao NUMEN bem como pelos preciosos comentários. Ao Rodrigo e ao Erik peço perdão pelo texto que não valeu o esforço da leitura. Acreditem que não foi a minha intenção enfadá-los e nem mesmo roubar-lhes tempo. Valendo-me do pensamento do sábio Salomão, creio que na multidão de conselhos há segurança e, portanto, em virtude do alerta, e com a mesma sinceridade que vcs esboçam, me esforçarei para oferecer algo digno da apreciação de vocês, caso decidam por nova visita aos nossos textos.

um abraço,
Paulo Silvano