quarta-feira, 3 de março de 2010

Do amor

A tradição popular dizia, amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo. De bom grado, antigos conselhos seguidos à risca que perpetuavam um sentimento de pertença a um grupo de privilegiados destinatários da graça divina. Para ser próximo sem ser filho de Abraão tinha de ser um prosélito circuncidado e iniciado nos ritos.

No entanto, um novo conselho inverte a lógica de convivência piedosa e extrapola a noção de generosidade divina. Amai os vossos inimigos, diz o Mestre, e orai pelos que vos perseguem, completa - dois movimentos que segundo o Cristo são práticas imprescindíveis para se tornar um filho de Deus.

Pois Ele não tem predileto, porque não encobre o sol sobre a cabeça do maldoso, nem regula chuva em sua horta, o mesmo clima que favorece o justo melhora também a vida do injusto.

O amor endereçado só a quem com amor retribui prova sua esterilidade no âmbito da vida. Na vida nada se colhe caso o objeto do amor seja aquele a quem só se quer bem e que retribui o gesto com a mesma intensidade; o sujeito mais vil é capaz da mesma troca.

Ser perfeito é exigência à quem, no peito, deseja abrigar o amor. Ser perfeito é dedicar atenção, cuidado e espaço nas preces aos desafetos e algozes. Ser perfeito é ser em amor. Amor que se mostra de fato quando o inimigo passa de alvo de rancor exclusivista à objeto do amor inclusivista, a exemplo do amor que emana do Pai.

Portanto, sede vós perfeitos como perfeito é o vosso Pai celeste.


Alex

2 comentários:

Erick Chiaramonte disse...

Caro Alex,

Deixo um questionamento a todos: "Como amar sem colocar os interesses em primeiro lugar"?

Abraço

javejireh disse...

Ser perfeito é compreender a essência da compreensão do amor que emana de Deus; compreender a nossa essência, como sendo igual a de nossos próximos, e daí surge o perdão antecipado, que cancela e anula nossas ondas de desamor por nossos semelhantes, mesmo antes das incompatibilidades aparecerem.


Obrigar-se a ser perfeito em amor, em dedicação (etc..) é um esforço sobre humano que gera apenas resultados de aparências!


Colocar na pauta de nossas orações a Deus, a necessidade da compreensão e sabedoria acerca da essência sustentadora do Amor, e tambem acerca das bases sustentadoras de nosso desamor gratuíto, isto sim gera o efeito inicializador da caminhada rumo ao Amor perfeito em Deus, sem acepções ou interesses!

Rodrigo *O Tecelão!


Veja mais aqui:

http://javejireh.wordpress.com/category/amor-e-outros-sentimentos-espirituais/